terça-feira, junho 24, 2008

Gerações

Já nos chamaram de tudo, desde geração rasca depois à rasca e depois que temos tudo quando os nossos pais não tinham quase nada, viviam uma vida santa mas também difícil. Acho que o nosso impasse hoje em dia é mesmo que temos de viver no mundo que fizeram para nós, com o aquecimento global, com o choque petrolífero final, com o descarrilamento da economia, com o espalhar palavra de mudança em classes a mãos com dificuldades, com o mundo a cair devagar mas cada vez mais depressa e nós que nem hipótese de o conhecer todo no seu melhor temos.

É certo que vivemos na época da tecnologia, das facilidades, dos avanços na medicina, no aumento de qualidade de vida, mas também temos de lutar muito mais para o termos. Temos de deixar de pensar em só receber e temos muito a dar ao nosso planeta. Ela está a ficar doente e cada vez mais parece que as pessoas não querem ver isso. 

Agora sim é altura de perguntar o que vamos dar aos nossos filhos? Não é uma conta para ir para a universidade, uma casa com espaço para crescer e brincar, as oportunidades que nós não tivemos. A nossa geração tem de pensar no mundo que vai dar aos filhos e tem de mudar tudo o que conhece e faz no dia a dia, desde o mais simples hábitos, para conseguir dar o melhor ao seu filho.

Por isso pensem duas vezes sempre que usarem o carro, sempre que deitarem lixo para o chão, sempre que gastarem água desnecessariamente, sempre que gastarem electricidade desnecessariamente, sempre que gastarem um saco de plástico, sempre que fizerem muito lixo, sempre que não reciclarem.... Sempre de olhos abertos.

10 comentários:

Kuki disse...

Clap Clap Clap!!! Muito bom texto!
Passo a vida a ouvir dos meus pais que me cai tudo do céu, que hoje temos tudo... que deviamos ter passado fome, ter usado sabão pra lavar o cabelo porque não havia champô, não ter tido mais oportunidades de estudar... como eles.
A nós não nos cai um emprego do céu e pra toda a vida, como eles tiveram. Podemos estudar, e com isso ter uma vida bem mais complicada neste mundo de doutores. E sim, para a grande maioria de nós as alfaces e as batatas chegam do supermercado porque vivemos num T3 de um 4º andar e não temos quintal para as ver crescer.

Justino Pénacova aka Menino Bonito disse...

Muito bom!
Gostei!
Podes voltar a repetir? :o)
Tks

Mary of Cold disse...

Aedita que penso nisso muitas vezes... por dia!
Que tipo de seres humanos estamos nós a criar?
Não vai ser nada fácil tentar dar aos nossos filhos a educação que tivémos...

Restelo disse...

Um post muito VERDE.

Lia disse...

Isso é bem verdade. Hoje quando uma pessoa quer ter um filho tem de pensar noutro tipo de coisas, como se a Terra sobreviverá para ele viver. É triste, porque não devia ser assim.

Thunderlady disse...

Acrescentar o quê? :)

(Ainda te vão aqui aparecer os petroilers a dizer que isso do petróleo é mentira)

Ele há horas assim... disse...

Clap, clap, clap... (aplauso de pé)!

Eu não diria melhor Wednesday! Muito bem! E apoio-te a 100 %.

Eu também contrubuo para essa causa comum e para a herança que pretendemos (e devemos deixar), às gerações vindouras. Eu reciclo (ou contribuo para a reciclagem), eu poupa água e electricidade, eu não mando lixo para o chão, eu não utilizo produtos que contenham os tão badalados cfc's, etc, etc...

Mas eu tenho noção que posso fazer ainda mais. E apesar de saber que há ainda muitos que não o fazem, não vou fazer como a maioria que não faz nada porque o parceiro do lado também não se dá ao trabalho.

Grande post Wed...muito bom!

Beijinhos

misskitsch disse...

Recebemos algo em muito mau estado e temo que o vamos deixar de herança muito pior, tipo as colchas da avó completamente mordidas pelas traças

:s

SAM disse...

aproveita e diz isso aos americanos quando lá fores!!

Maria João disse...

Parece uma visão pessimista, mas é bem verdade!!! Concordo 100% Temos aquilo que fizeram do nosso mundo, e vamos ter que viver com isso! Eu confio na nossa geração ;)