quarta-feira, maio 21, 2008

Minuto de Silêncio

Não venho aqui pedir-vos que façam um minuto de silêncio pelas mais recentes vítimas do ciclone Nargis ou do terramoto da China. Tenho o maior respeito por eles e por terem sofrido as consequências de um desastre natural, do qual nós próprios nunca nos livramos. Mas essas pessoas, mesmo sem o esperar e deixando cá uma vida e entes queridos que choram a perda, já sofreram e infelizmente, a sua vida já acabou.

O que aqui vos venho pedir é um minuto de silêncio por todas as crianças que aos poucos perdem a sua vida, a sua infância, o seu sorriso, a sua saúde, a sua inocência, nesse desastre humano gigantesco e em crescimento que é a prostituição infantil ou mesmo esse terrível movimento que é o turismo sexual.

Li hoje de manhã a reportagem da Visão da semana passada sobre "Prostituição infantil no paraíso" e simplesmente agradeci a minha vida simples, fácil e com obstáculos de brincar. A população que vive abaixo do limiar da pobreza, aliada à falta de informação e oportunidades leva à existência destes campos de concentração sexual por esse mundo fora. Vender o corpo a partir dos 7 ou 8 anos é um auto assassínio obrigado. E infelizmente no paraíso do Brasil, muitos dos turistas sexuais são mesmo portugueses. Como é possível descer-se tão baixo, dar uns trocos míseros a uma criança por uns minutos simplesmente abomináveis?

Não será esta uma das causas do colapso da Humanidade? São problemas gravíssimos que só vejo aumentar. São abismos de diferenças entre humanos semelhantes. Onde é que esquecemos que cada ser humano é nosso irmão e tem os mesmos direitos que nós?

7 comentários:

QqCoisa disse...

O Ser humano consegue ser um selvagem... é desumano essas coisas!! Ouve-se com cada barbaridade... que eu até fico parva "Como é possivel esta gente conseguir fazer isto!?"... Estou a falar desta situação que relatas... como por exemplo do caso do pai que fechou a filha não sei qts anos e fezlhes filhos... ou o outro que cortou em pedaços o bébé (o proprio filho)... eu sei lá... como é q é possivel???? Não consigo compreender... É algo que não tem qualquer compreensão mesmo... O Ser humano realmente consegue ser mto baixo...

Sadeek disse...

Não li a reportagem. Infelizmente é realidade conhecida. E fosse só no Brasil...

Minha rica bicharada...cada vez gosto mais deles...

Dasseeeeeeeee..


BEIJOOOOOOOOOOOOS

Catarina, disse...

Não cheguei a ver, mas queria ter visto. Depois perdi.

Mas é realmente sem explicaçao ,uma pessoa ate bem que nao acredita que isso exista. Mas é a realidade.

beijihno
cat*

Justino Pénacova aka Menino Bonito disse...

Uma leitura atenta da edição do "Courrier Internacional" deste mês e podes aperceber-te de outra realidade, também ela com efeitos danosos na sociedade: o tráfico humano.

Todos estes “males”, reflectem o espírito de impunidade que vagueia num negócio que floresce a olhos vistos, com lucros brutais e sem qualquer fim à vista.

Não só deveriam ser impostas penas pesadas ao “negociante”, mas como também ao “consumidor”, pois enquanto existir consumidor, vai haver sempre mercado de oferta… e será sempre a mesma pescadinha de rabo na boca andar com isto “para frente”, colocando em causa… os sorrisos de quem sofre com tudo isto :o(!

L.M disse...

Desculpa comentar sem nunca ter cá vindo, mas vi essa reportagem e fiquei espantada com a facilidade que é resolvida a vontade desses seres mostrusosos. Será que não pensam? Que não têm filhos? Acho horrivel como é que nos dias de hoje ainda exista este tipo de coisas! Não deveriamos ter mais compaixão pelos outros ao invés de tentar degradar cada vez mais? Não deviamos ser mais concscenciosos em todas as coisas?
É terrivel haver estas coisas, e infelizmente não é só no Brasil que isso acontece...

Beijo

Thunderlady disse...

Eu e a minha mania doi radicalismo e utopia pergunto-me outa coisa. Como é possível que, sabendo o que se passa (só não vê quem não quer) as pessoas continuam a ir para o paraíso.
O paraíso de uns.. o inferno para outros.

Boicotes? Ao turismo a certos países é que se devia fazer boicote. Aos produtos no mercado. A uma série de coisas.

Mas não.

Fazem-se reportagens, informa-se. As pessoas estão a jantar. Vêem. Lamentam. E na semana seguinte marcam as suas férias no... paraíso.

Bjoka

MiSs Detective disse...

nao entendo que prazer se retira disto, juro que nao entendo.