terça-feira, abril 10, 2007

O túmulo de Jesus (Visão)

Esta notícia da última Visão imtrigou-me bastante:

"O túmulo de Jesus

A Ressurreição de Cristo é posta em causa num documentário polémico

PATRÍCIA FONSECA 5 Abr. 2007

Durante o fim-de-semana da Páscoa, os portugueses poderão ver, na SIC, um documentário que promete abalar os fundamentos da fé cristã. Produzido para o Discovery Chanel pelo realizador de Titanic, James Cameron, O Túmulo Perdido de Jesus apresenta a teoria de uma equipa de arqueólogos sobre dez ossários do séc. I d.C. encontrados por acaso, durante uma obra, em 1980, em Jerusalém.
Apenas seis dos túmulos tinham inscrições. Mas o que diziam chegou para deixá-los em êxtase: «Jesus, filho de José»; «Maria»; «Mateus»; «Judas, filho de Jesus»; «José»; e «Mariamene e Mara», dois nomes atribuídos pelas seitas primitivas a... Maria Madalena. Uma vez mais, defende-se que Jesus teria casado com a «pecadora» e que desse amor nasceu um filho.
Esta teoria chegaria, por si só, para irritar as comunidades cristãs, que conseguiram proibir a exibição do documentário em vários países. Mas é a ideia de que o corpo de Jesus não teria «subido aos céus», mas sim transportado para um local secreto e depois colocado num ossário, que mais críticas merece do Vaticano – a tese põe em causa a Ressurreição.
Peter Stilwell, 60 anos, director da Faculdade de Teologia da Universidade Católica, considera que «aqueles nomes eram muito comuns na época», não havendo «provas científicas convincentes» no documentário. Além disso, «não há registo de peregrinações àquele local, ao contrário do que acontece com o sítio da capela do Santo Sepulcro, ou de outro túmulo, nos arredores de Jerusalém, venerado pelos protestantes», diz. Esta teoria, defende, «pretende normalizar o acontecimento excepcional que foi a Ressurreição e mostrar que Jesus foi, afinal, um homem como os outros».
O sociólogo das Religiões Moisés Espírito Santo, 71 anos, não vê mal nessa «humanização», lembrando que os cristãos orientais não consideram Cristo um elemento da Santíssima Trindade. Imune a tudo isto, lembra, fica a sua «mensagem extraordinária». Se morreu como um de nós, que importa? «Também Maomé e Buda, o que não fez deles profetas menos importantes.»"


Resta saber é quando é que o referido documentário deu... É que nem na própria programação da Visão ele vinha, nem no Expresso nem na página da SIC. Se calhar era bem mais interessante que Floribelas e novelas afins, filmes em estreia absoluta se tivermos em conta a última semana e outros programas do mesmo tipo... Televisão Nacional no seu melhor!

Aqui fica o trailer, só para animar um pouco!



Mais info aqui: http://www.jesusfamilytomb.com/

11 comentários:

Marco Rebelo disse...

ok
:)

Thunderlady disse...

("Moisés Espirito Santo"... isso será um nome profissional ou os pais dele tiveram uma epifania e puseram-lhe esse nome?) (Bem, este era o menos importante)

Mais importante: será que a maioria das pessoas, mesmo as mais religiosas, ainda vive na Idade Média a nivel emocionointelectual e acredita literalmente na metáfora da ressurreição?

wednesday disse...

Pois... Nessa e muitas mais. Por acaso há um livro que me anda a intrigar, que é o "Evangelho segundo Judas" (não posso garantir que o nome seja mesmo este). O facto é que uma coisa são as fábulas outra é a necessidade e/ou desejo de procurar a verdade. Aliás, uma maneira de deitar logo tudo por água abaixo é a questão da criação da Terra e do Homem e da Mulher... Tudo... Enfim. Eu não ponho em causa que Jesus tenha existido ou não, agora tudo o que vem na Bíblia.........

Thunderlady disse...

Sem entrar por terrenos obscuros... o "Evangelho Segundo Judas" que falas é o de Simon Mawer? Se for, já li e não me fascinou por aí além, esperava mais.

Um que gostei imenos, mas já é uma abordagem diferente é o "Jesus na Fogueira", de Catherine Clément (o título é um pouco escandaloso mas a abordagem está muito gira). Por falar neste, é a minha próxima recomendação - correndo o risco de me chamarem herege.

Quanto à Bíblia... a minha visão é esta: em primeiro não há nenhum evangelho de Cristo, todos os evangelhos são dos seus seguidores. Depois há factos históricos relatados e a Bíblia(Romanos, Coríntios, etc). Mais que um "manual de religião" é um livro de filosofia e de história.

Mas isto é o meu modo de ver - o agnóstico.

Thunderlady disse...

Correcção: "...relatados na Bíblia" em vez de "relatados e a Bíblia"

Temkiú very nice ;)

wednesday disse...

Pois... As questões são muitas mesmo. E tens toda a razão quando afirmas que não há nenhum envangelho segundo Jesus Cristo. Nunca tinha posto as coisas nesse ponto, mas uma coisa que obviamente qualquer pessoa deduz é o facto de "quem conta um conto acrescenta sempre um ponto"... E desde há 2000 anos para cá, "provavelmente" algumas coisas não devem já ser assim tão certas;)

MiSs Detective disse...

pois que as tv's tinham que dar o "Quo Vadis" e essas coisas bomnitas em que todos os anos se descobre qualquer coisa de diferente. Pois, eu cá nao queor mexer nessas coisas da fé porque depois se isto se prova acabam-se os feriados. E mesmo que o feriado da Páscoa seja sempre a um domingo, o que é uma grande maçada, temos sempre a sexta feira santa a preservar. Depois, se realmente Jesus teve um filho, aí pára tudo e há que descobrir o seu dia de nascimento e de morte e mais algum dia importante na sua vida (por exemplo dia de baptismo e isso) e torná-los feriados. Há que ver com que teoria se pode ganhar mais. E se teve um filhote, quem nos garante que não teve mais???????

Headache disse...

A bíblia, da última vez que vi, era um autêntico "Selecções do Reader's Digest" de textos da antiguidade, pegando apenas no que lhe interessava para enfiar na compilação.

Assim tb eu, raios.

Ler aquilo sem o mínimo de espirito crítico é pura acefalia. Ou fé, whatever.

wednesday disse...

Ahah Miss Detective, muito bem visto! ;)

A Bíbilia é mais um livro de fábulas, de belas metáforas. Mas eu acho que cada vez a igreja vai ter de medir forças com as novas gerações. Acho que cada vez vai ser mais difícil vender tão facilmente tudo aquilo que defendem.

Não sei se algum de vós já esteve no Vaticano, mas eu pergunto-me como é que eles não têm vergonha de ter e ostentar e mostrar tudo aquilo (além de cobrar um dinheirão) e andarem a defender a igualdade e os pobres e por aí fora...

Em resposta ao headache, já tenho em vista o próximo post que pode muito bem ser a roigem da próxima Bíblia. Pelo menos parece-me totalmente megalómano e estou para ver o resultado, eheh... :)

Jan_Jão disse...

Até hoje existiram muitas teorias mas nada concreto, a unica coisa que tentam desvendar e nunca conseguiram é sobre a morte de Jesus, a origem do homem, e o mistério da morte. Portanto digo uma coisa a todos sobre a biblia, Como alguns falam que existem variações no seu conteudo existe algo que precisam saber. Sua tradução foi feita por setenta e dois rabinos em setenta e dois dias e todas as versões foram iguais descartando a hipótese de alterações na escrita e no conteúdo.
Falando sobre a ressureição de Cristo, temos que ter um pensamento lógico no sentido de que houveram testemunhas que estiveram com Jesus após a sua ressureição e viram suas mãos perfuradas pelos cravos. Sem contar que as pessoas da época não teriam o porque mentir pois na época poderiam ser sacrificados ou perseguidos por se dizerem seguidores de cristo, sem contar que não havia media ou televisão para se promoverem. Portanto, a bíblia é o livro mais completo e com todas as resposta para as pessoas, todas as dúvidas dos pesquisadores estão nela e ninguém vive sem ela, mas vivem inventando sempre uma nova mentira para desviarem a atenção dela e de Jesus Cristo que está vivo e voltará !!!

Carlos disse...

jan_joão falou tudo e disse.